ThermoSoy

<h3 align="center"><strong>O grão de soja processado da Nutri Tech</strong></h3>

O grão de soja processado da Nutri Tech

ThermoSoy é grão de soja integral termotratado para vacas em lactação. O processamento térmico é exclusivo da NutriTech e confere estabilidade e palatabilidade.

O cozimento do grão de soja integral, reduz a degradação do grão no rúmen. Parte dos nutrientes são sim aproveitados pelos micro-organismos ruminais, mas parte chega intacta ao estômago verdadeiro e é absorvido no intestino delgado. A geração de proteína by-pass tem vantagens conhecidas para a produção e para a saúde do rebanho:

  • aumento da produção de leite e de sólidos no leite;
  • reduz a amônia no rúmen;
  • ganhos sobre a função reprodutiva;
  • melhora a saúde dos cascos;

Vacas de alta produção necessitam de um perfil de aminoácidos específicos para sustentar sua máxima expressão genética, o que não é
possível somente com a proteína microbiana proveniente do rúmen. A proteína by-pass resolve este impasse, entregando proteína proveniente da soja para que seja absorvida diretamente no intestino delgado.

A presença de proteína by-pass na dieta reduz a quantidade de amônia no rúmen: a degradação das proteínas pelas enzimas bacterianas resulta na liberação de nitrogênio para o ambiente ruminal. Parte desse nitrogênio é utilizado pelos próprios micro-organismos para a produção de proteínas específicas e necessárias ao seu metabolismo, e parte é transformada em amônia. A amônia é absorvida passivamente na parede do rúmen, indo para o sangue e chegando ao fígado, onde é transformada em ureia e eliminada pela urina. Estes passos ocorrem naturalmente no metabolismo dos ruminantes, no entanto as vacas de alta produção, cujas dietas são necessariamente ricas em proteínas, poderão acumular amônia em excesso no ambiente ruminal e extrapolar a capacidade do fígado de converter em ureia. Essa é a causa de um quadro de toxicidade que muitas vezes é sub clínico, mas tem consequências: o acúmulo de amônia altera o pH ruminal e reduz consumo de alimentos e produção de leite. Uma vez no sangue, se acumula nos folículos ovarianos e no útero, reduzindo a fertilidade do rebanho. Por fim, além de restringir consumo, a alteração do pH ruminal também afeta a qualidade dos cascos.

Quando ThermoSoy entra na composição da dieta das vacas de alta produção, há redução da proteína disponível no rúmen (PDR) reduzindo, consequentemente, a amônia no rúmen e suas consequências. Além disso, a maior absorção de aminoácidos, disponibilizados diretamente para o metabolismo, favorece a produção de leite assim como o aumento de sólidos no leite.

ThermoSoy também é uma ótima ferramenta nutricional, auxiliar nas estratégias que visam reduzir o estresse por calor por ser fonte de proteína by-pass e rico em gorduras. As gorduras são as fontes de energia que produzem a menor quantidade de calor e aumentam a densidade de energia nas dietas.

ThermoSoy deve ser fornecido misturado aos demais componentes e quantidade a ser fornecida depende do tamanho, idade e fase produtiva da vaca, em geral entre 1,5 e 2,0 kg por dia. Deve ser observado, com especial cuidado, o valor total do extrato etéreo do concentrado diário, que não deve exceder 6,5%.

Solicite ao nutricionista de sua confiança uma formulação, evitando assim, excesso de gordura na dieta de seus animais e para que possa indicar um  período de adaptação, respeitando a máxima de que toda vez que houver uma alteração na composição da dieta de um ruminante, esta deve ser feita de forma gradativa para que os micro-organismos do rúmen consigam se adaptar.